sexta-feira, fevereiro 12, 2010

Escrevi há uns anos atrás:
AMOR DE CARNAVAL

Entre confetes e serpentinas encontrei um amor...
Sobre as luzes da alegoria foi que tudo começou...
Ao som da bateria o coração palpitou...

Reco-reco, atabaque, cuíca e tambor...
O solitário coração disparou...
Alguém dele se apossou...

Noites de folias, sonhos e fantasias...
Oh quanta doce ilusão!
Pierrôs, arlequins e colombinas...
Todos dançam repletos de emoção...

Chegou então a ultima noite da folia...
O coração amanhece mais enrolado que serpentinas...
Uma voz diz: _Bom dia! Esqueça toda magia...
Amor de carnaval não dura quando chegam as cinzas.

Simone Poliakovas

Nenhum comentário: